O autoproclamado Estado Islâmico está anunciando e vendendo meninas Yazidis como escravas sexuais pelas redes sociais. Segundo avançou o Canal Tech, os militantes usam perfis no Facebook, whatsapp, entro