UNITA acusa a Polícia Nacional de Executarem os seus Membros

0
131

O maior partido da oposição na Angola, denunciou a “execução sumária” do filho do seu deputado Joaquim Nafóia e acusou o partido no poder de estar por trás da façanha.

De acordo com o comunicado divulgado ontem, quinta-feira (28), a direcção da UNITA disse estar agastado com a atitude da Polícia.

“Repudiamos a forma como alguns agentes da Polícia Nacional se deixam utilizar como instrumentos ao serviço de um partido, em vez de estarem ao serviço do Estado”.

“A UNITA repudia actos de violência pós-eleitoral contra os seus membros, ocorridos em Saurimo (Lunda Sul) e no Monte Belo (Benguela), bem como a execução sumária do filho do deputado eleito da UNITA Joaquim Nafóia (ocorrida em Luanda)”.

O Comité Permanente da Comissão Política daquele partido reuniu-se ontem para analisar os resultados das eleições eleitorais, tendo o presidente Isaías Samakuva anunciado a sua decisão de deixar a liderança da UNITA, assumindo apenas o cargo de deputado.

SHARE